Idioma:

190125_Sesc_Carmo_Lucas (2)

Como trabalhamos a mobilidade ativa no Enduro a pé

A primeira atividade do ano da Corrida Amiga foi o Enduro a Pé no Sesc Carmo. Tivemos grande participação em toda a preparação e execução da atividade, contribuindo desde a elaboração da rota até a prospecção de instituições parceiras. Todo o processo foi tão enriquecedor que decidimos compartilhar um pouco do nosso trabalho para a realização desse evento tão legal!

A Corrida Amiga ficou responsável pela confecção da rota, organização dos pontos de parada, contato e organização dos grupos que estiveram presentes e confecção do mapa com pontos de interesse na cidade para uso público e de interesse social.

Para dar conta de entregar tudo isso fomos fazer o que mais gostamos: andar por São Paulo! A metodologia utilizada para a definição do traçado divide-se em duas etapas:

  1. De início o mapeamento online e planejamento prévio para que a rota possuísse uma distância adequada para a prova de enduro e para que os pontos de controle estivessem bem distribuídos pelo caminho;
  2. Em seguida visitas a campo para que, através de experiências reais, o caminho escolhido fosse validado pela equipe.

Alguns critérios foram estabelecidos para definir o melhor trajeto, tais como: largura da calçada; arborização, travessias e conforto térmico (sombras).

Assim, quando possível, priorizou-se calçadas mais largas para que os participantes da prova pudessem se locomover com conforto além de ruas mais arborizadas ou providas de sombra no horário da prova.

O percurso buscou incluir ao longo do trajeto os pontos históricos e turísticos do Centro, marcos da história de São Paulo. Além disso, levou-se em conta o desenho de uma rota que passasse por paisagens diversificadas, a fim de mostrar as inúmeras faces que o Centro de São Paulo possui, sendo essa uma característica que a torna uma das áreas mais interessante da cidade.

Os pontos de controle, nos quais estavam localizadas cada uma das cinco organizações, também foram escolhidos seguindo critérios claros. A escolha foi feita levando em consideração algumas características mínimas:

  • a equidistância aproximada entre um ponto e o seu seguinte (entre 1,2 km e 1,6 km);
  • o nível de cansaço dos participantes entre tais distâncias;
  • a existência de área sombreada em cada ponto para que os coletivos pudessem abrigar-se;
  • o espaço suficiente para que as atividades possam ser realizadas sem que atrapalhem o fluxo de pedestres ou outros eventos.

Após esse estudo inicial ainda foi feita uma checagem com o Sesc e com o “Mochila Br” (empresa responsável pela prova de enduro) para aprovação e sugestões de alterações.

Com tudo fechado e combinado inicia nosso segundo trabalho na atividade. Realizamos o mapeamento de todos os pontos de interesse público próximos à rota (No caso desta edição, também foi realizado o mapeamento das organizações sociais próximas à rota) e descrição de ao menos endereços e outras informações relevantes (páginas 4 a 6 do manual da prova) .

Na terceira etapa foi feito o contato com organizações que se encaixavam no perfil desejado de prática esportiva e causa social para verificar interesse e disponibilidade, assim chegamos nos parceiros CDC Arena Radical; Gaymada São Paulo; Ski na Rua; Preta, vem de bike!. Com cada organização foi feito o desenho das atividades que foram realizadas em cada ponto.

No checkpoint da Corrida Amiga, os participantes caminharam por um circuito com obstáculos e jogaram o nosso Twister da mobilidade, salientando a importância de espaços acessíveis e caminháveis para todas as pessoas. A atividade do grupo Preta, vem de bike incentivou quem passou por lá a pedalar um pouco no centro da cidade. O CDC Arena Radical promovendo o skate, e o Projeto Social SKI NA RUA com  a simulação de ski, proporcionaram conhecer outros meios para se locomover e se divertir em São Paulo. Não podemos deixar de citar a Gaymada São Paulo e sua divertida queimada que animou todos em volta.

Por fim, confeccionamos a diagramação de todas as informações compiladas e do material voltado aos participantes.

Todo esse trabalho pode ser usufruído pelos participantes do Enduro a pé, como relatamos no nosso texto anterior no blog. Mas quem não pôde comparecer é possível olhar o resultado no manual da prova, que contém inúmeros pontos de interesse no centro de São Paulo e mais informações sobre as organizações parceiras (CDC Arena Radical; Gaymada São Paulo; Ski na Rua; Preta, vem de bike!)

Gostaríamos de agradecer ao Sesc, ao Mochila Br, as instituições parceiras que agregaram muito ao nosso trabalho e sem eles não teria acontecido.

camiga

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *